Estoque de segurança no varejo farmacêutico, como calcular?


A organização do estoque de um estabelecimento contribui significativamente para o processo final de vendas. No setor de varejo farmacêutico, é preciso criar boas práticas de distribuição e armazenamento de produtos e medicamentos, para que não falte quando o cliente mais precisar. Por isso, é preciso calcular uma margem de segurança de cada produto.

Essa margem está diretamente relacionada às vendas da farmácia. Por isso, o acompanhamento do estoque e o conhecimento sobre as suas variações envolve todos os profissionais que trabalham no local, sendo decisivos para o sucesso de cada um dos processos envolvidos na rotina.

Muitos dizem que o estoque é o “coração” de uma farmácia, pois é dele que seus clientes dependem. Por isso, cuidar da saúde desse “coração” é tratar o seu cálculo com máxima importância. Quer saber como calcular o estoque de segurança da sua farmácia? Continue lendo!

 

Entenda o que é o estoque de segurança de sua farmácia


Cada produto tem a sua margem de saída, ou seja, é possível calcular uma média diária de venda de um produto, baseada na própria rotina da farmácia. Porém, não é só nessa média que se deve pensar, é preciso considerar também o tempo que o fornecedor demora para entregar os produtos a partir do pedido.

A partir disso, existe aquilo que chamamos de estoque de segurança, conhecido também como estoque mínimo, que representa o número mínimo da quantidade de um item, baseado na venda diária e no prazo de entrega do fornecedor ou distribuidor.

 Por exemplo, se a venda média de um determinado item é de 3 unidades por dia e a entrega demora cerca de 4 dias, é preciso trabalhar com o mínimo de 12 unidades para esse produto. Esperar zerar um estoque para pedir novamente é garantia de problemas para a farmácia. Visualize as equações abaixo para reforçar esse entendimento!

Estoque de segurança = Venda Média Diária X Nº de dias para a entrega

Venda Média Diária = Consumo do produto no período / Nº de dias do período

Para entender como funciona o gerenciamento de estoque, é preciso conhecer bem os hábitos de consumo dos clientes. Por meio desse cálculo acima ou, até mesmo, da combinação desse cálculo com outros aspectos subjetivos, como sazonalidade, preferências e demandas específicas, fica muito mais fácil suprir necessidades futuras.

Há, portanto, além do conceito de estoque de segurança, outros termos familiares no gerenciamento de produtos e medicamentos que fazem toda a diferença na hora de realizar os cálculos.

 

Curva ABC no gerenciamento de estoque

Curva ABC é um método de gestão de produtos em estoque, baseado em parâmetros estabelecidos de acordo com a Venda Média de uma farmácia. Um aspecto diferencial desse método é o fato de priorizar determinados produtos, classificando-os segundo seu grau de importância, o que torna os processos de compra e reabastecimento mais assertivos.

 

Categoria A

Neste grupo, estão os produtos que têm mais importância no estoque. Esta importância, por sua vez, é medida pelo que eles representam no faturamento da farmácia. Para estarem dentro dessa categoria, precisam ocupar cerca de 70% do faturamento total, incluindo nessa parte da curva aspectos como variedade e quantidade de produtos.

 

Categoria B

A categoria intermediária da Curva ABC representa, logicamente, o montante de produtos intermediários quanto à contribuição no faturamento. Embora façam parte de cerca de 20% do total, constituem também um volume significativo.

 

Categoria C

A categoria com menor contribuição no faturamento representa até 10% da receita de uma loja. No entanto, em termos de quantidade, são os produtos que mais ocupam espaço no estoque. Entenda agora como funciona a Curva ABC e o porquê dessa lógica por trás do faturamento!

 

Entendendo a Curva ABC

Sendo um método comprovadamente eficaz no varejo farmacêutico, o princípio da Curva ABC é de que a menor parte dos seus produtos é responsável pela maior fatia do faturamento.

Ao listar os seus produtos e calcular faturamento total e individual, é possível chegar ao percentual de cada produto em relação a esse número. Fazendo isso, automaticamente, você saberá a importância de cada um.

A vantagem que esse método oferece é a possibilidade de alinhar as vendas ao estoque, entendendo a função de cada item na receita da sua farmácia, além de ser interessante por exigir um conhecimento sempre atualizado sobre os hábitos de consumo dos clientes.

Para entender mais ainda como funciona esse ciclo de entrada e saída de produtos, é preciso medir, também, o tempo que a mercadoria demora a sair do estoque, chamado de tempo de cobertura, assim como a quantidade de vezes que ocorre a renovação ou reabastecimento, que representa o giro do estoque.

Invista em recursos eficientes para controlar seu estoque e tenha melhores resultados nas suas vendas! Para conhecer outros investimentos do varejo farmacêutico, leia também este conteúdo Aumente o painel de vendas no varejo farmacêutico otimizando seu investimento.

  

Sobre Nós

A InterPlayers desenvolve soluções de integração para o mercado de saúde e bem-estar, otimizando as operações da indústria, profissionais da saúde, distribuidores, hospitais, clínicas e pontos de venda, resultando na melhor geração de valor em todo ciclo de negócios desta cadeia.