Como evitar o abandono ao tratamento médico e engajar o paciente com o Programa de Suporte ao Paciente

Como evitar o abandono ao tratamento médico e engajar o paciente com o Programa de Suporte ao Paciente

Evitar o abandono e garantir adesão ao tratamento por parte do paciente é uma preocupação e um desafio recorrente na área da saúde.

Sabemos que os fatores que levam isso a acontecer são muitos. Dentre eles, pode acontecer de o paciente não ter uma compreensão clara da sua doença e do impacto dela na sua vida, negar que esteja doente, bem como ter dificuldade em utilizar o medicamento – seja por manuseio ou por medo dos efeitos colaterais.

Hoje, vamos conversar um pouco mais sobre esses fatores e entender como engajar o paciente ao tratamento médico por meio de um Programa de Suporte ao Paciente (PSP).

Para propor esses serviços, é necessário estudar e entender as necessidades dos pacientes, compreendendo os motivos pelos quais o paciente pode não aderir corretamente ao tratamento, propondo serviços que o apoiem durante a sua jornada de tratamento.

Um bom PSP acompanha o paciente desde o diagnóstico, o orienta no acesso ao medicamento e trabalha para sua adesão ao tratamento.

Entendendo a jornada do tratamento para propor soluções

Quando se estuda a jornada do tratamento de uma doença específica, também se estuda o tratamento em si. É importante avaliar qual é o protocolo recomendado para um tratamento e se vai além do medicamentoso. Afinal, há doenças que possuem protocolos de tratamento mais complexos e requerem uma abordagem multidisciplinar.

A partir desse estudo, é possível compor todos os serviços atrelados ao tratamento.

Um bom exemplo são doenças crônicas como o diabetes que, apesar de não ser considerada de alta complexidade, tem um grande apelo para o tratamento multidisciplinar, com acompanhamento nutricional e recomendação de prática de atividades físicas.

E isso pode ser um grande desafio para o paciente que, muitas vezes, é sedentário e está acostumado com hábitos alimentares considerados inadequados. Quando o paciente percebe as mudanças que será preciso fazer, é comum que se sinta desanimado e a chance de abandono ao tratamento é maior.

Nesse sentido, o PSP pode oferecer toda uma rede de parceiros com serviços de exercícios físicos, apoio nutricional e uma retaguarda de profissionais da saúde para fazer todo o acompanhamento desse paciente.

Outro desafio comum entre as doenças crônicas é que, assim que o paciente percebe uma melhora, pode querer abandonar o tratamento ou até mesmo optar outras alternativas “milagrosas”, incentivado por informações sem respaldo científico.

Nesse momento, a informação e o relacionamento próximo com esse paciente fazem toda a diferença . Oferecer canais de conteúdo e estruturar uma régua de engajamento não só de lembretes ou para ligar e marcar as visitas, mas para informar o paciente, emponderá-lo e, ao mesmo tempo, acompanhar se ele entendeu os materiais que recebeu, se tem dúvidas, se voltou ao médico na data marcada, se pegou uma nova prescrição do medicamento. Assim, é possível saber o grau de comprometimento com o seu tratamento.

É importante ressaltar que, quando a indústria farmacêutica procura por uma empresa parceira para criar um PSP, precisa de uma solução que seja construída em conjunto, pois cada paciente tem sua jornada e cada doença tem sua especificidade.

A InterPlayers é o hub de negócios da saúde e bem-estar e conta com uma estrutura especializada e preparada para oferecer o que você precisa para proporcionar mais apoio aos seus pacientes, evitando o abandono ao tratamento médico.

Sobre Nós

A InterPlayers desenvolve soluções de integração para o mercado de saúde e bem-estar, otimizando as operações da indústria, profissionais da saúde, distribuidores, hospitais, clínicas e pontos de venda, resultando na melhor geração de valor em todo ciclo de negócios desta cadeia.